Envie sua notícia
(67) 9 9857-3088

Sexta, 23 de Agosto de 2019

dourados
Marçal pede parceria do Governo para reativar o estádio Douradão
Na semana passada o Dourados News mostrou, através de série de reportagens realizadas com exclusividade, a real situação do local, que hoje possui risco iminente de incêndio.
09 AGO 2019
Por Dourados News
07:59

Foto:
Interditado pela Prefeitura de Dourados por problemas elétricos, o estádio municipal Fredis Saldivar (Douradão) pode voltar a receber jogos e sediar projetos esportivos. O deputado estadual Marçal Filho (PSDB) se reuniu com o presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Marcelo Miranda, e pediu que seja estendido a Dourados, parceria semelhante apresentada esta semana pelo Governo do Estado para revitalizar o estádio Pedro Pedrossian (Morenão) de Campo Grande.

Na semana passada o Dourados News mostrou, através de série de reportagens realizadas com exclusividade, a real situação do local, que hoje possui risco iminente de incêndio.

Ali funcionava a Fundação de Esporte do município, a Funed, bem como vinha sendo desenvolvidos os projetos Paralímpico, Escola de Goleiros,  Ginaslouquinhos, além de outros na área de artes marciais. O estádio ainda abrigava a Guarda Mirim. Todos tiveram que deixar o Douradão.

Segundo o deputado, a parceria financeira no valor de R$ 4 milhões garantida para reformar o estádio Morenão também poderá ser estendida a Dourados. "O Douradão é o segundo maior estádio do Mato Grosso do Sul, sendo importante para o município; é preciso que essa parceria também seja feita com Dourados, pois os problemas são apenas na parte elétrica", justifica Marçal Filho. 

Para a revitalização do Morenão serão utilizadas verbas do Fundo Estadual de Defesa do Consumidor, vinculado ao Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de MS). O uso desse dinheiro para as obras é um meio legal, considerando que existe uma relação de consumo por parte do público-torcedor e o estádio, objeto do projeto a ser financiado. No estádio da Capital, a intenção é a de trocar toda parte elétrica, hidráulica, banheiros, tampar o fosso e até colocar assentos em todos os setores, para que o lugar funcione como uma “arena” de futebol.

O projeto em Campo Grande é bem mais ousado, diferentemente do Douradão, que para voltar a funcionar e ter de volta os projetos sociais, precisa apenas de investimento na parte elétrica. O deputado diz que vai buscar junto a Fundesporte e ao governador Reinaldo Azambuja uma saída para que o Douradão volte a ser utilizado pela população.